domingo, 6 de fevereiro de 2011

Editora brasileira quer processar blogueiro por crítica negativa? É o fim



Um blogueiro chamado Igor, editor de um blog bem badalado, Lendo e Comentando, com 1.498 seguidores, postou uma carta neste sábado, 5, que afirma ser de certa editora protestando uma das resenhas escritas por ele. Igor não diz quem é a editora.

No e-mail postado (leia aqui), tira o nome da pessoa e da empresa, mas no resto, escancara as ameaças delirantes. O post já saiu até no site de O Globo, se é que isso possa ser sinal de alguma credibilidade.

Parece que o garoto tem parcerias com várias editoras, é colunista da MTV e conhecedor de autores teens como Becca Fitzpatrick e Cassandra Clare. As editoras enviam livros para ele comentar. Mas esta editora em especial entende que o rapaz é obrigado a fazer comentários sempre positivos, elogiosos dos livros. É o fim.

OK, a parceria está firmada. Mas se quer mesmo elogios, mande sempre de Shakespeare para frente, e ainda assim corre o risco de o rapaz, que é fã de Harry Potter e dono de uma massuda biblioteca de 300 livros, não gostar do conteúdo que criou o humano e descer a lenha verbal. Qual é o problema? Qual é o maldito problema?

Sanando a possibilidade de ser esse e-mail um tremendo golpe de marketing, pondo de lado o fato de que não há nomes para se averiguar de que resenha se trata, qual é seu suposto conteúdo vergonhoso, vexatório, ordinariamente venenoso, não levando em conta o fato de que isso cria uma tremenda curiosidade de se lerem todos os posts do rapaz para instigar a imaginação a bater o martelo sobre uma ou duas possibilidades, atropelando essas vias possíveis, é lamentável uma atitude tão rasteira da editora, de alguém que faz livros.

No fundo, no fundo, algo de institivo me diz que isso pode ser mesmo uma espécie de marketing viral. Em todo caso, o blogueiro também tem de entender que se quer ser imparcial que vá comprar livros, não peça o mel à abelha para depois arrancar-lhe a casa.

Por outro lado, definitivamente, ameaças desta natureza, nem brincando. Entre os tiros que saem do rifle imaginário estão uma arrogante observação e uma raivosa e vingativa promessa:

“Somos de teoria que a finalidade de um blog é divulgar uma obra e não denegri-la.”

“Dessa forma, solicitamos que delete a referida resenha num prazo máximo de 72 hrs. Do contrário, nossa parceria será imediatamente finalizada e o nosso corpo judicial moverá ação contra o seu blog, pedindo o imediato fechamento desse.”

Onde essa pessoa pensa que está? Na China? Em Cuba? No Camboja do Pol Pot? Fala sério. Intimidar um blogueiro por causa de uma resenha desfavorável, realmente é o fim da humanidade. Daqui a pouco estarão censurando um lance de Twitter sobre poesia. Mas tudo isso deve ser uma grande blague.

10 comentários:

Nana * disse...

Muito bem. E lá vamos nós.

"Resenha desfavorável?"

Você chegou a ler MESMO a resenha que esse infeliz fez? Se informou melhor a respeito de toda essa confusão? Soube que a tal editora ainda não fez nenhum tipo de comunicado geral, informando corretamento o que aconteceu?

E se toda essa besteria fosse verdade por que o tal blogueiro deletou todos os seus meios de comunicação?

Gostaria de deixar bem claro que, TODOS OS BLOGUEIROS SÉRIOS e que possuem PARCERIA jamais, repito, JAMAIS foram repreendidos. E isso porque NUNCA deram motivos. Não ofenderam o trabalho da autora e muito menos da própria editora.

Porque, chamar a autora de "drogada", dizer que seu livro é "um monte de merda" e que a editora "ficou sem noção", SIM isso é MOTIVO suficiente para ser processado por diflamação.

Parceria é uma VIA DE MÃO DUPLA!

LEIAM ISSO:
http://redomadecristal.com.br/2011/02/06/desarmando-barraco-o-poder-da-palavra/

Bruna Britti disse...

Favor, ler isso aqui >> http://twitpic.com/3x7m3h/full

e isso aqui >> http://redomadecristal.com.br/2011/02/06/desarmando-barraco-o-poder-da-palavra/

Favor conhecer os dois lados antes de julgar. Grata. ^^

Revistacidadesol disse...

Giba: o blog que vc cita saiu do ar. Eu li o texto no O Globo.

Olha, pode até ser marketing, mas o fato é que muita gente pensa assim a respeito da crítica hoje em dia. Ela seria um ato de violência em si, por si tem de ser abrandada por definição, sob pena de punição.

Abs!

Paula Roberta disse...

Está certo que ele não gostou do livro mas, como diz o coment acima, fazer uma resenha daquelas já é um exagero!
Aquilo é que é uma falta de educação! Tá certo que ele não gostou, muitos outros blogs parceiros da editora não gostaram, mas eles não esculacharam a obra como o Igor fez, não é?

Gilberto G. Pereira disse...

Bruna e Nana, se vocês realmente leram meu post e não vieram raivosas já de oturos link sabem bem que eu não julguei nenhuma editora identificada, tampouco julguei livro algum com a faca nos dentes. Eu julguei, isso, sim, a possibilidade da atitude de uma editora querer fechar um blog pelo autor deste blog ter falado demais. Nesse caso, leve o autor ao banco dos réus e não me venha com essa sugestão de ditador de que se o blogueiro falou bobagem vamos fechar o blog dele (a menos que este esteja infestado de calúnias a ponto de não se salvar). Se vocês duas realmente leram o meu post puderam ver que não defendi a atitude do rapaz, mesmo porque, deixei claro para leitores inteligentes (que é a tônica dos leitores de meu blog, como o próprio Lúcio da Revista Sol) que não li a resenha e que não leria a resenha, porque, pelo que eu quis dizer, e disse, não teria necessidade. Citei o nome de alguma editora? Citei o nome de alguma empresa? Falei que o rapaz estava certo? Disse que as pessoas podem escrever o que quiserem com o direito de ficarem impunes? Não disse nada disso. Portanto, vocês duas é que precisam ler direito os textos dos outros. Existe a liberdade de expressão, e a pessoa paga pelo excesso, pela calúnia, pelo crime, qualquer que seja ele, mas, daí fechar o blog, que é a mesma ideia de fechar um jornal, uma televisão, é demais para meu espírito democrático. Um blog também não tem a obrigação de ficar passando a mão na vabeça de ninguém, não. Por outro lado, se o rapaz errou (não li a resenha, repito, não vou ler), que a editora comunique à justiça. E ele que vá procurar a proteção de Dumbledore (se é que também não seria seu alvo). Vocês entenderam?

Bianca Briones disse...

Gilberto,
Posso estar enganada, mas jornalistas lidam com fatos e não possibilidades.
Até agora não foi provada a existência de nenhum email de nenhuma editora.
Temos um suposto email e prints que poderiam muito bem ter sido forjados.
Sua postagem seria perfeita,se tivéssemos uma prova concreta de que aquele email era mesmo de uma editora.
Acredite, se fosse um caso contra a liberdade de expressão, eu mesma teria me levantado contra a editora, como já aconteceu antes. Só não o fiz porque não lido com suposições.
Talvez eu tenha dado sorte não apenas por ter lido a resenha, mas também o livro. Qual foi a minha surpresa? Algumas cenas citadas por ele não existem. Ele as forjou para poder dar uma de Felipe Neto resenhando Crepúsculo.
E não foi preciso nenhuma medida judicial, o próprio blogueiro deletou o blog e diversas contas na internet.

PS: Onde posso fazer um teste para saber se tenho ou não o nível de inteligência necessário para ler e comentar no seu blog? ^^

Gilberto G. Pereira disse...

Você foi perfeita na argumentação. Meu post está carregado de provocações e demonstra consciência de que eu deveria consultar as fontes (digo isso ao longo do texto inteiro), mas não quis ser objetivo ou ser repórter de The New Yorker Times, porque não faço jornalismo em blog, emito minha opinião, escrevo sobre aquilo que me move, me comove, me deixa indignado. Meu nome é verdadeiro, minhas palavras são sinceras, meu e-mail está no meu perfil e respondo a todos que se identificam. Como você se identificou, estou te respondendo. Agora, a menos que você tenha mudado de nome, sinceramente não me referi a você sobre inteligência, mas às duas meninas que comentaram primeiro. Em todo caso, se você tomou as dores das duas, e quer fazer um teste de inteligência (por conta própria), que eu não pedi a ninguém, é bom entender que sequer disse que as duas não eram inteligentes. O que disse foi que meu blog é para pessoas inteligentes e que sabiam ler, inclusive contando com o substrato de leitura que fica nas camadas subliteris (se existisse tal palavra). Por esta razão, se seu comentário fosse um teste de inteligência eu diria que a última observação denota um pouco de emotividade que não condiz o restante (teria me nocauteado, não fosse por ele, esse gongo salvador). É como se eu pudesse ler um pouco de sua alma por ele, uma pequena brecha. Não sou muito de fazer polêmica. Escrevi tudo aquilo (e nem vale a pena você reler meu post para descobrir que o tempo todo eu sabia que estava pisando em ovos) porque fiquei indignado com a possibilidade (contingência existe, mas eu posso estar influenciado demais pelo existencialismo) da censura. Agora, uma coisa você tem razão (quer dizer, tem razão em mais de uma coisa), apagar o blog (será que foi o garoto mesmo que apagou?) é uma forma incrivelmente covarde de passar para outra discussão. Sinceramente eu gostei de você (no sentido 'não-sei-porquê' da coisa). Olhei seu perfil e vi que você gosta de testes. Olha, não feri, nem quero ferir ninguém (sei, ou desconfio, que você não vai ler meus posts, mas eles estão aí pra dizer que não sou de perder meu tempo escrevendo palavras em cancro). De vez em quando vejo alguns moinhos e me sinto encarnar Menochio. Só isso. Vamos deixar de lado as desavenças. Paz.

Bianca Briones disse...

Olá, Gilberto.

Quando criamos um blog ou escrevemos qualquer tipo de texto, seja ele profissional ou não, devemos ter em mente que nem todos concordarão com a nossa opinião.
Minha intenção em nenhum momento foi a de te nocautear. Até porque, se fosse, não teria feito a pergunta e colocado meus olhinhos sorridentes ao lado (^^).
Só quis mostrar a você que certas colocações não são necessárias. É óbvio que as meninas estavam nervosas e alteradas por tudo o que viram antes de comentar no seu blog. Sim, elas são meninas, têm mais maturidade do que muitos adultos por aí, mas ainda assim são meninas. Acho desnecessário qualquer tipo de agressão a leitores, não importa o quanto eles já vieram alterados.
Ao citar que escreve para pessoas inteligentes está dizendo que falta inteligência a qualquer um que não entender o seu post ou que quem não entendeu deve se retirar porque você já tem todos esses leitores importantes (foi o que pareceu).
É claro que você pisou em ovos durante a sua postagem e a veracidade dela. Sei ler e interpretar bem.
Na verdade, já tinha lido a sua postagem pela manhã, quando não tinha nenhum comentário, não me pronunciei porque você não foi o único a "acreditar" no garoto e passarei vários dias escrevendo se tiver que explicar a todos que a verdade não é bem a que ele postou.
Por que resolvi comentar depois?
Porque tenho um defeito de fabricação que me faz dizer o que penso sobre aquilo que acho correto e achei desnecessária a forma como você se referiu a elas.
Sempre digo que quem não aguenta a opinião alheia não deve escrever nem diário.
Em relação ao que escrevo, concordo que escrevemos de acordo com nossas opiniões pessoais, o problema, no meu caso, é que a minha opinião precisa sempre bater com a verdade. Acho que só quem já foi caluniado, julgado e condenado injustamente entenderia o por quê.
Quanto ao garoto, se fosse só o blog poderia ser obra do Google (que não o faria sem motivo), mas em seguida foram deletados twitter e perfil no skoob. Ao que parece, infelizmente, alguém se perdeu e precisou sumir. =/
E você tem razão, a possibilidade da censura está sempre por aí, assim como a possibilidade da trollagem na internet. É um terreno perigoso e a prudência precisa imperar.
Não tenho nada contra você. Nada. O que me trouxe aqui foi ter algo a favor daquelas meninas, justamente pelo fato de serem meninas. Com o tempo, elas aprenderão a chegar com jeitinho nos lugares, mas nós já somos adultos, né?
E, sim, sou Bianca Briones, nome e pessoa real. O Google está aí para provar. =P (Só explicando que esse sinal significa que estou te mostrando a língua agora. Hum... Acho melhor explicar também que o sinal para mim é algo bom. É... Apesar dos meus 31 anos, gosto de emoticons. haha)

Maria Eduarda Wimmer disse...

Bom,eu discordo,antes de você fazer um post para o seu Blog falando que a editora esta errada,você teria que saber os dois lados da historia.

No que a editora disse “Somos de teoria que a finalidade de um blog é divulgar uma obra e não denegri-la.”

Ele pode dar a opniao dele sim,tanto negativa quanto positiva,mas,ele não pode denegrir o livro,chamando a editora de "sem noção",o livro de Bolo de merda e a escritora de drogada,sim ele falou isso do livro.

Claro que estamos no mundo literário para dar nossa opniao,já que ninguém aqui tem opnioes iguais,assim espero.
Mas,toda resenha,TEM que ter seu limite para a critica,sendo boa ou ruim,porque ele denegriu o livro e,ele tendo pelo o que ele disse "odiado" o livro outra pessoa que pode ter sido influenciada por essa resenha,poderia gostar,acho que a editora se refere a isso no e-mail.

E depois se fazendo de inocente,ele não queria armar barraco,como ele disse no twitter,mas o nome do post era exatamente "armando barraco".

E sobre a Globo,obviamente,como um site forte e correto,que tem que seguir a verdade,o Igor quando mandou a denuncia para a Globo,não contou os dois lados da historia,se não,a Globo NUNCA teria feito aquela postagem.

E sobre o Twitter e o Blog,a editora ainda NÃO tinha tomado nenhuma providência sobre o tal caso,quem estava percebendo que estava errado e as pessoas estavam se virando contra ele,aposto que a vergonha foi maior e deletou o twitter E o Blog.

Abs,
Duda

Gilberto G. Pereira disse...

Oi, Bianca! Não quero prolongar a discussão, mas eu não sugeri que você não pusera seu nome real no teu perfil. Enfim. Repito, existe alguma coisa no seu texto (as palavras cintilam algum tipo de luz que reflete mesmo aquilo que é aquele que escreve, não é) que me faz saber que você é gente boa. Os outros também são. O problema de escrever é que todo texto (tecido, em latim) deixa fios, por mais finos que sejam, soltos, com os quais a gente sempre pode desfiar o tapete. Falei do nacaute não como um carrancudo homem. Foi mais uma blague. Falei de sua última frase do teste de inteligência também. Mas está na cara que tudo aquilo tinha, de igual modo, um senso de humor interessante. E, realmente, meu grau de idiotice é deveras acentuado (você não disse isso, ninguém disse, o que prova certa diplomacia e respeito por parte de todos). E eu aceito críticas, sim, mas gosto de responder a elas. O mais engraçado de tudo isso é que o autor desse incêndio todo já tirou seu time de campo e cá estou eu na batalha, como um Brancaleone, incrivelmente só, sem exército nenhum. =P pra você também (é um sinal que mostra a língua do pê, hehehe!)